top of page

Os Falsos Gurus




Na atual era de Kali, muitas pessoas ficam irritadas simplesmente por ouvir a palavra guru devido à excessiva má conduta e a queda de muitos falsos gurus que, buscando fama e poder, enganaram seus discípulos com falsas promessas. Existem muitos falsos gurus que têm um caráter abominável, que comem carne, bebem álcool, tem relações ilícitas e que apesar de tudo se intitulam Deus. Devemos ter muito cuidado com esses falsos gurus. Principalmente se vêm da Índia. Nem tudo que vem da Índia pertence à tradição védica. Lá existem muitos pensadores livres e independentes, criando as mais diversas teorias e práticas sem qualquer comprovação científica ou revelada nas escrituras sagradas.


“Um guru que está absorto em gratificação dos sentidos, que é um tolo incapaz de discernir entre um comportamento próprio ou impróprio e que segue um caminho desprovido de devoção pura, é um falso guru. Deve-se abandoná-lo de imediato.”

(Mahabharata, Udyoga Parva 179.25)


Existem diferentes tipos de falsos gurus que podem ser facilmente identificados. Se ele diz possuir amor e afeição por Deus, e compaixão pela humanidade, mas continua se alimentando da carne de animais inocentes, apoiando a cruel indústria do abate, significa que seu amor permanece defeituoso e sua compaixão é limitada. Um guru autêntico deve cultivar valores universais de amor incondicional a todas as entidades vivas, independente se ela está no corpo de um animal ou não.


Outro caso típico de um falso guru é daquele que se apresenta como sendo Deus, propagando a ideologia da unidade indistinta, o monismo. Apesar de ser extremamente limitado e ignorante, dependente da energia material para tudo e incapaz de livrar-se das misérias corpóreas, ele ainda assim se compara a Param Brahma, o Senhor da criação, manutenção e destruição de todo o universo. Isso significa que ele ainda não desenvolveu humildade suficiente para assumir seu papel de servo de Deus. Por suposto, não pode ser considerado guru, mas sim alguém que nutre profunda inveja de Deus e deseja usurpar Seu trono como um traidor. Este sujeito inescrupuloso, mesmo após afirmar que todos nós também somos Deus, permite apenas que ele seja adorado como tal, e no ápice de sua soberba, senta-se no altar destinado ao Senhor e aceita a adoração em Seu lugar.


Outro exemplo de um falso guru é aquele que, a pretexto de conduzir seus seguidores ao “êxtase divino”, recruta suas discípulas para aulas particulares, onde a prática sexual será propagada como forma de catecismo e purificação. Ele diz que através da relação sexual será ativada a kundalini e a partir daí acontecerá o despertar da consciência divina. Canalhas desse nível se aproveitam da inocência alheia e merecem a mais severa das punições.


A primeira lição que os Vedas nos ensinam é que não somos este corpo e que não será através de ginástica e/ou estímulo sexual que a Verdade poderá ser compreendida. É somente através do serviço devocional, livre de apegos mundanos e corpóreos, que poderemos receber a misericórdia do Senhor e compreender a Verdade. Toda compreensão é fruto de uma benção e as bênçãos são outorgadas pelo Senhor àqueles que se rendem e se humilham diante dEle. Enquanto houver no coração a arrogância de nos comportarmos como se o mundo fosse feito para o nosso próprio desfrute, a misericórdia não poderá se acercar de nós.


Caso você tenha sido iniciado por um dos “gurus” descritos acima, deveria obedecê-lo com a rendição recomendada pelas escrituras? Deveria seguir este “guru” completamente, a ponto de entregar sua vida a ele? Qual deve ser a reação do discípulo quando descobre que seu “guru” é um farsante? As escrituras revelam que se o discípulo for sincero, deverá rejeitar este falso guru, imediatamente, e procurar por um guru que cumpra com os requisitos necessários para desempenhar este papel com integridade.


Ser guru pressupõe, principalmente, assumir uma grande responsabilidade. No momento da iniciação, 60% do carma do discípulo é transferido para o guru, e se este não for capaz de digerí-lo, acabará sofrendo com este fardo e cairá de sua posição muito em breve. Um guru deve ter compreendido que é um servo de Deus, deve ser versado nas escrituras védicas e ser capaz de tirar todas as dúvidas de seus discípulos. Se ele tiver amor puro por Deus, este amor fluirá até o coração de seus discípulos, permitindo que estes evoluam espiritualmente e estreitem sua relação com Krishna.


Comments


Todos os Artigos
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
mandala1_edited_edited_edited_edited_edi
bottom of page